É estranho você ter esse poder de me preencher e me esvaziar, me quebrar e me consertar. É estranho porque você me faz querer ser clichê, como uma tola romântica de uma história infantil. De repente eu me peguei escrevendo os nossos nomes na areia da praia, me vi ouvindo a mesma música o dia inteiro, só porque eu sei que você a adora. Quase me assustei quando percebi que estava pensando em você o dia inteiro. E para todo lugar que eu vou, o vento me traz o teu cheiro. E o meu lápis, a minha xícara de café, o tricô da minha avó, a piada sem graça do meu pai, tudo me lembra você. Porque você está na minha risada, na minha lágrima, no meu passo, na minha poesia. Você está em todo lugar, exceto aqui.
~ Never let me go, do you remember? (via contempus)
» via  contempus   (originally  encanteios)
1 day ago on 22 April 2014 @ 8:09pm Reblog / 116 notes
» via  rafalofer   (originally  lawyerupasshole)
2 days ago on 21 April 2014 @ 12:16pm Reblog / 390,628 notes
» via  rafalofer   (originally  marloous)
2 days ago on 21 April 2014 @ 12:16pm Reblog / 197,247 notes
  • Amigo: — Cara, você se arrependeu de ter terminado com ela?
  • Ele: — Olha pra mim, você acha que eu me arrependi? Eu saia sexta e só voltava segunda de manhã pra trabalhar. Eu peguei a mãe, a filha, a prima, a tia e só não peguei a vó da vizinha, porque ela tinha hemorroida. Eu tinha cortesia pra entrar nas melhores baladas. Eu esnobei as garotas que todos os homens queriam pegar. Transei de segunda à sábado, e domingo eu via futebol. Detalhe, sem ninguém me chamando pra ir ver a porra do casal feliz no Faustão ou sei lá o que. Me mandavam mensagens o dia todo e se você perguntar se eu li alguma eu vou te dizer que não. Eu podia ver filme pornô, levar a guria que eu quisesse pra minha cama e depois chamar o taxi pra ela ir embora pra eu não precisar gastar gasolina, porque convenhamos, tá cara pra caralho. Eu era o que elas queriam de qualquer jeito. E eu, queria todas de qualquer jeito, mas só um pouquinho cada uma. Chamava todas de bê, pra não errar o nome de nenhuma. E por que diabos elas achavam que isso era fofo? Eu ia pra academia as três das tarde e voltava as oito da noite. Tenho uma coleção de calcinha perdida na última gaveta da minha estante. Eu saia na rua com o som alto no carro e podia escolher a dedo, quero essa, depois essa e mais tarde, essa. Na minha geladeira nunca tinha uma caixa de cerveja, eram no minimo quatro. Eu não devia nada pra ninguém. A única guria que me cobrava alguma coisa, era minha mãe. Me cobrava minha cueca lavada e só. Não tinha que ir no cinema ver as comédias românticas e falar “own amor, eu faria o mesmo por você”. Não tinha que deixar de ir pra balada pra fazer um lanchinho em família. Não precisava me preocupar em horário e olhava pra quem eu queria na rua. Minha casa tinha festa toda quarta. Camisinha aqui tinha do Bob Esponja até das Três espiãs demais. E eu ainda dava de brinde um moranguinho pra cada garota. Meu trampo era sentado na frente do computador. Peguei tua irmã cara. A amiga dela. A Carolzinha filha do Prefeito da cidade. A Jú filha do gerente do banco. Loira, morena, ruiva, que gostava de pagode até a que gostava de gospel. Eu tinha o mundo na minha mão. E você me pergunta se eu me arrependi? Me arrependi caralho. Porque toda essa porra de vida perfeita nesses 9 meses que fiquei sem ela não teve valor nenhum depois que eu vi ela sorrindo de um jeito que nunca sorriu pra mim, pra um outro cara aí. Pra um vagabundo desgraçado que vai fazer ela feliz, porque eu, eu não fiz ela feliz e ainda mandei a melhor coisa que eu tinha na vida me esquecer. E sabe o que é pior? Ela me obedeceu.
3 days ago on 20 April 2014 @ 9:12pm Reblog / 108,560 notes
O meu amor por você é grande demais para se perder por uma bobagem. Então, eu respiro fundo, deixo os pequenos contratempos de lado, os grandes temporais internos pra lá e sigo. Porque o futuro é logo ali. E é pra lá que nós vamos.
~ Clarissa Corrêa   (via clamam)
» via  evidencio   (originally  oh-lasqueira)
3 days ago on 20 April 2014 @ 9:04pm Reblog / 15,115 notes
» via  okbeijos   (originally  carencias)
3 days ago on 20 April 2014 @ 9:02pm Reblog / 53,484 notes
Aqueles que se desesperam duplica a sua dor.
~ Desconhecido.    (via velejo)
» via  in-complete   (originally  sonrei-r)
3 days ago on 20 April 2014 @ 8:58pm Reblog / 241 notes
» via  in-complete   (originally  star-gazing)
3 days ago on 20 April 2014 @ 8:53pm Reblog / 43,681 notes
» via  a-ultimapoeta   (originally  fine-luxury)
3 days ago on 20 April 2014 @ 8:47pm Reblog / 13,529 notes
Te amo. Só isso. Tudo isso. E é essa minha resposta quando você me pergunta por que eu ainda estou aqui. É simples, sem enrolação, sem respostas complexas e filosóficas: Só te amo. E te amar já basta. E te amar me revigora e me dá forças pra aguentar o resto.
~ Iolanda Valentim (via evidencio)
» via  evidencio   (originally  ivalentim)
3 days ago on 20 April 2014 @ 8:46pm Reblog / 93,791 notes



A cada estação,
um novo sorriso.


{ facebook, alejandro, }


theme by querida solidão; base por nothing, com alguns detalhes originais da letycia